Cidade

HISTÓRICO

Data da Criação: 23/02/1957.

Instalação: 25/03/1959.

Toponímia: Santa Cruz do Acaraú foi o primeiro nome, depois adotado Alto da Genoveva, numa homenagem a uma mulata que alí residiu, mudado para Bela Cruz por um missionário religioso.

Variação Toponímica: Santa Cruz do Acaraú e Alto da Genoveva. Desmembrado de Acaraú.

Padroeira: Nossa Senhora da Conceição.

Dia: 08/12.

Arquitetura Antiga: Igreja da Nossa Senhora da Conceição, Casa da Cultura.

História: Chamou-se primitivamente Alto da Genoveva, nome que provém de uma mulata então residente no sítio de origem. Em 1798, quando por esse sítio missionava Frei Vidal da Penha (final do Século XVIII), mudou-se a denominação para Santa Cruz do Acaraú, em alusão ao cruzeiro de praxe, sempre erguido nos lugares por onde peregrinava esse andante missionário.

Em 1.730, conforme a tradição, em princípios desse ano, uma senhora de nome GENOVEVA, mandou construir sua morada sobre a colina localizada nas proximidades da Lagoa de Santa Cruz. Mencionada colina ficou sendo chamada de ALTO DA GENOVEVA. Logo em seguida outros moradores passaram a residir no local. Ali construíram uma capela que também ficou conhecida como CAPELA DA GENOVEVA, dedicada à NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO, atual Padroeira de Bela Cruz.

Em 1.732, os moradores da comunidade fazem aquisição de uma imagem de Nossa Senhora da Conceição, medindo dez centímetros, para expor à veneração dos fiéis na capela do ALTO DA GENOVEVA.

Em 1.862, por força da lei nº 1.012, que criou o Município de Santana do Acaraú, a povoação de Santa Cruz passa a pertencer ao novo município.

Em 22 de dezembro de 1.863, através da Lei nº 611 da Assembléia Provincial, o município de Acaraú conseguiu reavê-la.

EVOLUÇÃO POLÍTICA – Gerado o reduto, tendo como referência a cruz deixada pelo frade, houve certa prosperidade, de sorte que sua elevação à categoria de POVOADO, pela Lei n.1.893 de 07 de março de 1.888.

Em 09 de setembro de 1.917, o Presidente do Ceará, Dr. JOÃO TOMÉ DE SABÓIA E SILVA, sanciona a lei nº 21, criando o Distrito de Santa Cruz.

Em 1.937, o então Prefeito de Acaraú, MANOEL DUCA DA SILVEIRA, assina a lei nº 10, criando a Sub Prefeitura no Distrito de Bela Cruz.

Em 23 de fevereiro de 1.957 ocorre a EMANCIPAÇÃO POLÍTICA DE BELA CRUZ.

De acordo com a Lei nº 3.538, de 23/02/1957, o então Governador Paulo Sarasate Ferreira Lopes, assina a mesma, erigindo o Distrito de Santa Cruz a Município. O histórico acontecimento ocorreu em ambiente de autêntica festa popular da qual participou toda a comunidade. Essa Festa aconteceu em frente a casa do comerciante e líder político Mário Louzada, de baixo de uma mangueira. Foi inesquecível.

Antes deste inesquecível e memorável acontecimento, aconteceram vários episódios travados entre as lideranças do povo Santacruzense hoje Bela Cruz, a seguir relatados:

Em primeiro de setembro de 1.953 o líder político José Ludgero da Silveira, faz a entrega à Assembléia Legislativa do Ceará de um requerimento assinado por 130 eleitores do Distrito de Bela Cruz, pleiteando a elevação do mesmo à categoria de Município, na Divisão Territorial do Brasil, marcada para o mesmo ano.

Em 19 de setembro do mesmo ano, a Câmara de Acaraú recebe, da Assembléia Legislativa, o projeto de criação do município de Bela Cruz para a devida apreciação. O projeto localiza a nova unidade cearense em uma área de 750 km2.

Em 22 de setembro 1.953, a Câmara de Vereadores de Acaraú, em sessão extraordinária, nega a aprovação ao projeto de criação do Município de Bela Cruz.

Em janeiro de 1.956, os próceres políticos do então Distrito de Bela Cruz, orientados pelo então Deputado Manoel Gomes Sales, encetam nova campanha pela sua emancipação.

Em 15 de junho 1.956, o líder político Manoel Damião da Silveira, Administrador da Mesa de Rendas Federais de Acaraú, escreve, no jornal O ACARAÚ, um artigo solidarizando-se com os promotores da campanha pró-municípío de Bela Cruz, sua terra natal.

Em 19 de setembro 1.956, a Câmara de Vereadores de Acaraú, por unanimidade de seus Vereadores, APROVA o NOVO PROJETO, de criação do município de Bela Cruz, agora com 780 Km2 de superfície.

Em 20 de setembro 1.956, a Assembléia Legislativa do Ceará recebe o PROCESSO de criação do Município de Bela Cruz, enviado pela Câmara Municipal de Acaraú.

Em 14 de novembro 1.956, a Assembléia Legislativa do Estado do Ceará APROVA a realização da CONSULTA PLEBISCITÁRIA, sobre a emancipação do Distrito de Bela Cruz.

Em 16 de novembro 1.956, é nomeada pela Mesa Diretora da Assembléia Legislativa do Estado do Ceará, a JUNTA PLEBISCITÁRIA encarregada de promover a consulta popular objetivando a criação do município de Bela Cruz. Referida Junta ficou assim constituída: PADRE ODÉCIO LOIOLA SAMPAIO, FRANCISCO DAS CHAGAS SILVEIRA e MANOEL NICODEMOS ARAUJO, sendo instalada em 17 do mesmo mês e ano.

Em 30 de dezembro de 1.956, realiza-se o PLEBISCITO no Distrito de Bela Cruz, para a criação do Município do mesmo nome. A votação foi efetuada em 05 sessões, sendo 03 na sede distrital, uma na povoação de Prata e uma na povoação de São Gonçalo.

Em 31 de dezembro de 1.956, é conhecido o resultado da consulta popular realizada para a criação do Município de Bela Cruz. Dos 1.060 eleitores que compareceram às urnas, 1.053 responderam SIM, 01 respondeu NÃO e 06, votaram em BRANCO.

Em 29 janeiro de 1.957, a Assembléia Legislativa do Ceará APROVA o resultado do Plebiscito realizado no Distrito de Bela Cruz, a 30 de dezembro de 1.956, para a criação daquele distrito a Município. O diploma legal instituindo a nova unidade cearense, teve como relator o Deputado Estadual, Manoel Gomes Sales.

Em 03 de outubro de 1.958, realizam-se as primeiras eleições para os cargos de PREFEITO, VICE-PREFEITO E VEREADORES do município de Bela Cruz e foram eleitos: PREFEITO – MÁRIO DOMINGOS LOUZADA e VICE JOSÉ ANSELMO DE ARAUJO. Para a Câmara Municipal de BC, foram eleitos os Vereadores: BENEDITO LOPES DA SILVEIRA – GERALDO FONTELES DE CARVALHO – GERALDO SILVEIRA ROCHA – JOÃO OSMAR FREITAS – JOÃO BATISTA DA ROCHA – MARINO PEREIRA BRANDÃO e RAIMUNDO MAGALHÃES ROCHA.

Em 25 de março de 1.959, acontece, em clima de festa autêntica, comunitária e política, a instalação oficial do município de BC, com a posse do Prefeito MÁRIO DOMINGUES LOUZADA e do VICE JOSÉ ANSELMO ARAUJO, perante a Câmara Municipal então instalada, dirigindo o Prefeito MÁRIO DOMINGEUS LOUZADA o Poder Executivo da nova unidade cearense até o dia 19 de dezembro de 1.961, quando faleceu, sendo substituído pelo Vice Prefeito JOSÉ ANSELMO ARAUJO.

Em 25 de março de 1.959, instalação da Primeira Câmara Municipal de BC, com a seguinte Mesa Diretora: Presidente – RAIMUNDO MAGALHÃES ROCHA; Secretário – GERALDO FONTELES DE CARVALHO; Vogais – BENEDITO LOPES DA SILVEIRA – GERALDO SILVEIRA ROCHA – JOÃO OSMAR FREITAS – JOÃO BATISTA ROCHA – MARINO PEREIRA BRANDÃO. Na mesma data o Município de Bela Cruz passa a constituir Termo da Comarca de Acaraú.

Igreja: As primeiras manifestações de apoio eclesial ocorreram a partir da ereção da capela, nicho dedicado em honra de Nossa Senhora da Conceição. O patrimônio, no qual edificou-se a capela e constante de meia légua de terras na Ribeira do Acaraú, teve como doadores Domingos Aguiar de Oliveira, Nicolau da Costa Peixoto, havendo como reforço quarenta vacas de cria. (12/09/1832).

Essa capela, que pelos tempos adiante seria transformada em Igreja-Matriz, recebeu tratamento especial, sendo ampliada e melhorada graças aos trabalhos realizados pelos padres Teotime de M. Vasconcelos (1894) e Joaquim Severiano (1923).

Sua transformação em Igreja-Matriz deu-se por ato de D. José Tupinambá da Frota, Bispo de Sobral, conforme registro de 20 de dezembro de 1941, sendo inaugurada a 11 de janeiro de 1942. Padre Odécio Loiola Sampaio, foi o primeiro vigário da recém criada paróquia.